Campanha de conscientização pretende reduzir trabalho infantil no Maranhão


Subnotificação de informações, durante a pandemia, traz incertezas quanto ao panorama do trabalho infantil no estado. Campanha para incentivar o fim do trabalho infantil é realizada no Maranhão
O Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) deu início, em São Luís, à campanha ‘Todos Juntos Contra o Trabalho Infantil Doméstico’, visando discutir e alertar a população sobre os problemas relacionados ao trabalho de crianças e adolescentes em todo o estado. Uma das metas da campanha é erradicar o trabalho infantil no Maranhão até 2025.
De acordo com dados do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), o Maranhão apresenta 8,8% de crianças em situação irregular de trabalho, liderando o ranking de estados da região nordeste com o maior percentual de trabalho infantil. A nível nacional, segundo a pesquisa, o estado ocupa a quarta colocação dentre os estados com maiores índices de crianças em situação de vulnerabilidade, exercendo trabalhos.
A coordenadora do Programa de Prevenção ao Trabalho Doméstico, da Superintendência Regional do Trabalho no Maranhão (SRTE-MA), Leia Cristina Léda, explicou que a presença de crianças, de forma precoce, no ambiente de trabalho, torna propícia a realização de atividades em condições insalubres, por vezes análogas à escravidão.
“São várias atividades econômicas que envolvem o trabalho infantil […] o trabalho infantil tem tudo a ver com o trabalho escravo. Crianças que foram submetidas a esse trabalho irregular, se tornam, no futuro, possíveis trabalhadores escravos […]”, disse a coordenadora.
Campanha de conscientização pretende reduzir trabalho infantil no Maranhão
Reprodução/TV Mirante
Para a representante do Sindicato dos Trabalhadores Domésticos do Maranhão, Isabel Castro, a situação de trabalho infantil foi uma dura realidade durante a infância. Desde muito cedo, a desintegração familiar e a realização de tarefas em residências foram uma realidade.
“Só você perder o vínculo com a sua família, ou estar em locais que você não conhece […] isso já tira a sua autoestima”, concluiu.