Estrangeiros presos com R$ 448 mil em cédulas falsas em São Luís vieram de Camarões; notas falsas poderiam enganar um cidadão comum, diz PF


Em entrevista à imprensa, o delegado Natan Vasconcelos, responsável pelas investigações, contou que os homens, que têm entre 30 e 40 anos, vieram do país Camarões, passaram pelo Estado de São Paulo e depois vieram para São Luís, onde se hospedaram em um hotel. Estrangeiros são presos pela Polícia Federal com R$ 448 mil em notas falsas em São Luís
Divulgação/Polícia Federal
Após a prisão em flagrante de dois estrangeiros, na última quarta-feira (13), que estavam em São Luís em posse de R$ 448 mil em notas falsas, a Polícia Federal deu mais detalhes sobre o caso.
Em entrevista à imprensa, o delegado Natan Vasconcelos, responsável pelas investigações, contou que os homens, que têm entre 30 e 40 anos, vieram do país Camarões, passaram pelo Estado de São Paulo e depois vieram para São Luís, onde se hospedaram em um hotel.
“A gente teve um informe de inteligência de que dois estrangeiros, oriundos de Camarões, que estavam primeiro em São Paulo, estavam aqui em São Luís, possivelmente cooptando pessoas para compor uma quadrilha para difundir cédulas falsas aqui na cidade de São Luís. A gente recebeu um informe de que eles estariam hospedados em um hotel aqui da capital”, explicou o delegado.
Leia também:
Mulher é presa após receber R$ 8 mil em cédulas falsas pelos Correios no MA
PF prende homem com R$ 2 mil em cédulas falsas em Morros, no MA
Ainda segundo Natan Vasconcelos, com base nessas informações, a Polícia Federal manteve um serviço de vigilância para acompanhar os suspeitos. Os homens fizeram alguns trajetos, foram ao supermercado se alimentar e depois foram para o hotel, onde efetivamente estavam hospedados.
“Lá nesse hotel nós já tínhamos acesso ao quarto que eles estavam e nós fizemos a abordagem. Eles foram encontrados com essa mala, contendo quase meio milhão de reais em cédulas falsas de R$ 100”
O delegado ressaltou que chamou atenção da polícia a grande quantidade de cédulas falsificadas, porque geralmente há apreensão de valores menores, entre R$ 1 mil e R$ 5 mil em notas falsas. Mas, nesse caso, foram quase meio milhão de reais distribuídos em 4.488 notas de R$ 100 falsificadas.
“É um valor muito grande, que denota que essa quadrilha é articulada, possivelmente está a serviço de pessoas maiores, de laboratórios que produzem uma quantidade maior de cédulas. Inclusive, eles estavam com mais de 12 mil papeletas do tamanho exato de cédulas e com produtos químicos, que possivelmente seria para produzir novas cédulas falsas”, detalhou o delgado da Polícia Federal.
Estrangeiros são presos pela Polícia Federal com R$ 448 mil em notas falsas em São Luís
Divulgação/Polícia Federal
Além da grande quantidade de notas falsas, a PF também destaca a qualidade da falsificação, que, segundo a polícia, era capaz de confundir o cidadão comum, principalmente se as notas estivessem misturadas entre cédulas verdadeiras.
“São cédulas muito parecidas, a gente usa o termo de que são células capazes de confundir o cidadão, o cidadão comum, o cidadão médio. Talvez um especialista, um bancário, alguém que lide com dinheiro diuturnamente não, mas é uma cédula que, no contexto de estar entre outras cédulas, ela pode sim facilmente passar”, explicou o delegado Natan Vasconcelos.
Ainda de acordo com a Polícia Federal, os estrangeiros presos deverão responder ao processo criminal de acordo com as leis brasileiras e, se condenados, após cumprir a pena, eles serão expulsos do Brasil e devolvidos ao país de origem.