Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Evento de rap em São Luís é marcado por atrasos, brigas e denúncia de agressão contra mulher

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
'Djonga na ilha' chamou a atenção por conta da reclamação de atrasos, além de brigas envolvendo os artistas Marco Gabriel e Gugs contra a Acontece Produções. Confira os relatos. Na...

'Djonga na ilha' chamou a atenção por conta da reclamação de atrasos, além de brigas envolvendo os artistas Marco Gabriel e Gugs contra a Acontece Produções. Confira os relatos. Na última sexta-feira (15), um evento denominado 'Djonga na Ilha' ganhou grande repercussão nas redes sociais por causa de uma série de situações que envolvem atrasos nas apresentações, brigas entre artistas com seguranças do evento, além de uma denúncia de agressão contra uma segurança, que foi parar na polícia.
Compartilhe essa matéria no WhatsApp
Compartilhe essa matéria no Telegram
De acordo com a produtora do evento, a 'Acontece Produções', tudo começou quando um dos artistas convidados para se apresentar, o Marco Gabriel, não chegou no horário pra tocar, às 21h. Por isso o show dele não aconteceu.
Procurado pelo g1, Marco informou que não foi autorizado a falar sem o aval do advogado. No entanto, em nota publicada nas redes sociais, o cantor diz que artistas locais não se apresentaram por 'atrasos e desorganização desde o início do evento' (Veja a nota na íntegra no final da reportagem).
Denúncia de agressão contra mulher
Outra situação envolvendo o artista Marco Gabriel diz respeito a uma denúncia da Acontece Produções, de que uma segurança chamada Samyra teria sido agredida por ele, quando Marco teria tentado entrar no evento e foi parado para ser revistado pelos seguranças.
"Ele estava desde cedo no local do evento entrando e saindo e todas as vezes que retornava era o mesmo dilema. Segundo a equipe que estava na porta, era a 5ª vez que ele fazia o mesmo procedimento e se negava mais uma vez a ser revistado", afirmou Jhonatha Kazuo, um dos representantes da produtora.
Por volta das 00h45, a Acontece Produções afirma que Marco teria se recusado a ser revistado pelos seguranças e então agrediu a segurança Samyra quando ela tentou segurá-lo, mas acabou derrubada no chão.
O g1 tentou contato, mas não conseguiu falar com a Samyra sobre o assunto. Já a Acontece Produções reafirmou que ela foi agredida e que todo procedimento legal foi realizado, incluindo corpo delito e Boletim de Ocorrência.
Por outro lado, Marco Gabriel foi questionado sobre a suposta agressão a Samyra, mas novamente informou que 'não foi autorizado a falar sem o aval do advogado'. Na nota divulgada por sua equipe nas redes sociais, Marco afirma que em nenhum momento e recusou a ser revistado , mas não deixa claro se houve (ou não) agressão contra a segurança.
"Não compactuamos com injustiças e nem com quaisquer formas de violência, principalmente com os nossos. O Marco Gabriel em momento algum se negou a ser revistado, como está sendo acusado de forma infundada, uma vez que a revista de homens estava sendo feita por homens da equipe do evento, não sendo necessário contato algum com mulheres da equipe. É injusto e imoral uma empresa usar do tema de violência contra a mulher para tentar ludibriar e manipular a opinião pública sobre o ocorrido, na tentativa de desviar o foco dos fatos para se eximir de seus erros que puderam ser percebidos durante todo o evento", diz a nota.
A nota emitida pela equipe de Marco diz ainda que toda a confusão só existiu porque os seguranças do evento o acusaram de ser um baderneiro tentando entrar no espaço sem ingresso. Devido a isso, o cantor teria sido tratado com truculência, agredido e jogado no chão, o que o deixou machucado.
Gugs se envolve na confusão e mais cancelamento
Outro artista convidado para o evento foi o rapper Gugs, que também afirma ter sido agredido pelos seguranças do evento. Ele também reclamou da falta de organização da Acontece Produções.
"Quando aconteceu a agressão dos seguranças contra Marco na portaria, Marco veio me chamar falando que tinha sido agredido. Nessa hora, o segurança ficou querendo me intimidar com empurrão até acontecer a primeira a agressão contra mim. Depois veio os outro seguranças e começaram agredir", disse o rapper ao g1.
Após a confusão na portaria do evento, ambos foram retirados pelos seguranças e o show de Gugs também não aconteceu. A princípio, o show estava marcado para a meia-noite, mas no horário quem se apresentou foi o artista principal da noite, o 'Djonga'.
Segundo Gugs, ele estava preparado para se apresentar no horário, mas foi surpreendido pelo show do Djonga e ficou sem suporte para se apresentar.
"Não me apresentei por causa da falta de organização e suporte da produtora que trouxe o artista Djonga, a “Acontece Produtora”. Eu queria ter o contato de alguém para poder perguntar o porquê de não ter tocado, mas não tinha ninguém pra passar essas informações", completou Gugs.
Sobre este caso, a Acontece Produções disse que irá elaborar uma retratação com o Gugs pelos transtornos, mas culpou a produção do artista Djonga pelo cancelamento do show.
"O Hugo [Gugs] na verdade tinha a apresentação as 00h sim, porém a equipe do artista principal [Djonga] invadiu o palco as 23h45 exigindo a saída de todos os artistas que eles iriam entrar. Até nós da produção fomos pegos de surpresa, então eu mesmo conversei com Hugo e remarcamos o show para após a apresentação do Djonga, que não ocorreu por conta do tumulto que ocorreu por volta de 00h45", declarou Jhonatha Kazuo.
O g1 entrou em contato com a assessoria do cantor Djonga, que não se posicionou sobre a acusação de 'invasão' de palco e apresentação antes do horário combinado.
Confira abaixo, na íntegra, as notas da Acontece Produções, Marco Gabriel e Gugs
Acontece produções
"A produção do evento Djonga na Ilha vem a público se manifestar sobre o ocorrido durante a realização do evento na última sexta-feira. Na ocasião, fomos surpreendidos pela negativa do Marco Gabriel em ser revistado após retorno ao evento, visto que o artista estava entrando e saindo do local diversas vezes. O procedimento padrão é a revista a ser feita em todos do evento, sem exceção. Diante da insistência da equipe de segurança em seguir o protocolo, o mesmo se alterou e agrediu a segurança SAMYRA, motivo pelo qual foi solicitado ao mesmo que se retirasse do evento, já que não compactuamos com qualquer forma de agressão. Após o transtorno gerado na entrada, o artista em questão invadiu o evento e reuniu amigos sob a alegação de que havia sido vítima de racismo, o que gerou tumulto enquanto a equipe de segurança tentava acompanhá-lo até a saída do evento. Infelizmente, toda história tem mais de uma versão e sentimos muito, sabendo que qualquer manifestação não é suficiente para mudar a julgamento que o Tribunal da Internet já está fazendo, sem ouvir todos os envolvidos. Nos solidarizamos e disponibilizamos todo o suporte jurídico à Samyra, nossa parceira de anos e trabalhadora competente, para que possamos solucionar da melhor forma o ocorrido e tomarmos as medidas cabíveis. Estamos há mais de dez anos no mercado contagiando pessoas, encantando corações e trazendo o melhor da música a nossa ilha. Artista incríveis passaram pelos nossos palcos, como: Filipe Ret, L7, Livinho, Matuê, Dricka, Guuga, Ryan Sp, Os Neiffs, Matheus Fernandes, Belo, Bom Gosto, Éotchan, entre outros… Vale ressaltar que mantemos e lutamos sempre pela verdade dos fatos, respeitando a todos independente de classe social, gênero, sexo, credor ou cor de pele e repudiamos qualquer forma de violência e discriminação. Sendo assim, a Produção vem a público esclarecer os fatos e prestar solidariedade a uma mulher que foi agredida no exercício de sua profissão, trabalhando e esperando que a nossa sociedade possa evoluir para que qualquer um, dos cliente aos prestadores de serviço, possam estar sempre seguros e serem respeitados nos nossos eventos"
Marco Gabriel
A equipe do Marco Gabriel vem por meio desta nota deixar nítido o ocorrido na última sexta-feira (15/07) no show do Djonga em São Luis – Ma. Devido a atrasos e desorganização desde o ínicio do evento, as apresentações dos artistas locais não seguiram como combinado na contratação e alguns artistas foram impedidos de se apresentar devido ao horário avançado. Tais fatos puderam ser percebidos de imediato pelo público presente. Em respeito ao público e a cena hip-hop local, nossa equipe decidiu não cancelar a apresentação do Marco Gabriel. Por causa do atraso a esposa do artista que também é parte da equipe, não pôde seguir aguardando o novo horário da apresentação já que os 2 têm um filho de 7 meses. Em direção a saída, Marco Gabriel informou a equipe de segurança lá presente que voltaria para realizar sua apresentação. Após deixar sua esposa no carro, o artista retornou para aguardar o novo horário, mesmo com sua equipe desfalcada e com o desgaste por causa da desorganização do evento. Ao retornar o artista teve sua entrada barrada, por não ter sido reconhecido por parte da equipe de segurança, sendo que o mesmo ja tinha entrado no evento e permanecido durante um tempo longo de espera, e a equipe da produtora nem se quer quis consultar o flyer do evento para confirmar a informação que se tratava de um artista contratado pelos responsáveis da produtora. Devido ao despreparo, a equipe de segurança tratou o artista com truculência achando que se tratava de um baderneiro tentando adentrar o espaço sem ingresso. No momento da volta, os seguranças da portaria o impediram de entrar, imobilizando, segurando, agredindo e jogando no chão, O Marco Gabriel está ferido e podemos provar a truculência. Nossa equipe ja está tomando todas as medidas legais diante da acusação que recebemos esta tarde por parte da produtora, na tentativa de responsabilizar o Marco Gabriel pelo caos causado pelo próprio despreparo, desorganização e truculência da equipe da produtora. Não compactuamos com injustiças e nem com quaisquer formas de violência, principalmente com os nossos. O Marco Gabriel em momento algum se negou a ser revistado, como está sendo acusado de forma infudada, uma vez que a revista de homens estava sendo feita por homens da equipe do evento, não sendo necessário contato algum com mulheres da equipe. É injusto e imoral uma empresa usar do tema VIOLÊNCIA CONTRA MULHER para tentar ludibriar e manipular a opinião pública sobre o ocorrido, na tentativa de desviar o foco dos fatos para se eximir de seus erros que puderam ser percebidos durante todo o evento. Soltamos esta nota para esclarecimentos e para acalmar todos aqueles que se preocuparam com o Marco Gabriel. Como trabalhamos de forma limpa e prezando pelo respeito as pessoas que nos acompanham, viemos com as informações do que aconteceu de fato. Entendemos a gravidade das acusações que foram feitas e já estamos tomando as medidas legais"
Gugs
"Não me apresentei ontem por falta de organização da Acontece Produtora. Chegamos no horário combinado para o show e não aconteceu. Nenhum momento a produção chegou em nós para explicar o que tinha acontecido. Ficamos sem suporte nenhum, atrás do palco, impedidos de cumprir o que fomos contratados a fazer. Esse foi o menor dos problemas. Fomos agredidos pelos seguranças, levando socos na cara e chutes, no meio do público e por motivo nenhum que justificasse esse tratamento. Como forma de me defender, reagi a tais AGRESSÕES. Não sai de casa pra tirar onda em festa, sai de casa pra fazer o trampo que foi contratado pelos responsáveis do evento. No final, saímos do evento sem fazer nosso devido trabalho, comprometendo outras pessoas que abriram mão de outros trabalhos para se fazer presente comigo, sem contar o público que foi prestigiar nossa apresentação. Fomos agredidos no local onde deveríamos ser acolhidos, o que não aconteceu em nenhum momento"

Deixe sua Opinião

Ultimas Noticias

Siga a Gente

--:--
--:--
  • cover
    Rede Mano Santana
  • cover
    Mirante FM