Grupos de motoqueiros causam transtornos durante a noite nas avenidas de São Luís


Polícia e Ministério Público tentam barrar as 'motociatas'. 108 pessoas já foram presas em flagrante por desobedecer as regras de trânsito. Grupos de motoqueiros causam transtornos nas avenidas de São Luís
Grupos de motoqueiros que se reúnem e saem em 'motociata' estão causando medo e levando poluição sonora por vários bairros de São Luís, principalmente à noite.
Em três meses, segundo a polícia, 108 pessoas já foram presas em flagrante por desobedecer as regras de trânsito. Cerca de 400 motos foram apreendidas, uma média de 22 motos a cada noite de operação, no qual, na maioria dos casos, a polícia encontra alteração no escapamento para aumentar o barulho.
Também já houve casos de motociclistas atacando motoristas de carro no meio do trânsito. A polícia e o Ministério Público intensificaram as operações para tentar impedir essas ações dos motociclistas que tiram o sossego das pessoas.
"Fazem contatos por grupos nas redes sociais, marcam encontros e saem puramente para chamar a atenção e tirar o sossego das pessoas de bem… gerando um perigo muito grande porque, dependendo do que vir a ocorrer, ou pode ter ameaças aos condutores de veículos, ou acidentes … as possibilidades são diversas", afirmou o coronel Borba Lima, comandante do Batalhão de Policiamento Rodoviário em São Luís.
Motociatas à noite causam transtornos a moradores em São Luís
Reprodução/TV Mirante
Quem pilota com escapamento adulterado paga multa de R$ 500 e precisa trocar a descarga ilegal para ter a moto devolvida.
Em São Luís, uma lei estabelece um limite de até 55 decibéis e, acima disso, é considerado poluição sonora, mas na medição realizada nas operações, algumas das motos apreendidas chegaram a 105 decibéis.
"Pela alteração da descarga do veículo. Eles alteram, o que causa poluição sonora", explica a coordenadora de fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Aline Pinheiro.
"É uma prática ilegal, haja vista que a maioria das motos tem a descarga irregular. Eles saem em grande número fazendo muito barulho, começam muito tarde, parece que fazem propositalmente. Começam nove… dez horas da noite. E aí ficam rodando nos bairros residenciais com um barulho ensurdecedor, causando poluição sonora, desconforto, problemas para os moradores", declarou o promotor de Justiça, Cláudio Guimarães.
Quem mora ou trabalha nas regiões mais movimentadas de São Luís diz que conviver com tanto barulho se tornou um tormento.
"O barulho muito alto acaba espantando as pessoas, deixa bastante estressado. A sorte que eu não trabalho em um local que tem muita zoada, mas quando eu venho para cá (Centro de São Luís), a gente espera algo diferente e acaba recebendo esse tipo de zoada", relata a massoterapeuta Adrielli de Souza.
Além do risco à segurança no trânsito, o otorrinolaringologista Pedro Serafin alerta para o risco à saúde.
"Pode causar irritabilidade, fadiga, insônia … O que pode gerar até situações de violência no trânsito, por exemplo. Situações de acidentes no trânsito. Faz mal a quem está exposto de qualquer maneira, tanto direto, quanto indiretamente", diz o médico.