Maranhão completa uma semana sem registro de mortes por Covid-19


Número de casos na última semana somaram 2.093 em todo o estado e está em tendência de queda. Rua Grande é considerado o maior centro comercial de São Luís
Matheus Soares
O Maranhão completou neste domingo (3) uma semana sem registro de mortes por Covid-19, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os registros são de 28 de março a 3 de abril e foram obtidos a partir do boletim epidemiológico que é divulgado diariamente pela pasta.
Na mesma semana, foram 2.093 casos registrados da doença e está em tendência de queda. Neste domingo (3), 18 foram registrados na Ilha de São Luís e 4 nas remais regiões do estado.
Segundo a secretaria, o número de casos ativos (pessoas que, no momento, estão com Covid-19) caiu e chegou a 2.943. Desses, 2.910 pacientes foram orientados a ficar em isolamento domiciliar, 17 estão internados em enfermarias e 16 estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).
4
MÉDIA MÓVEL: Confira a progressão de casos e mortes por Covid-19 no MA
DÚVIDAS: Veja mais de 40 perguntas e respostas
GUIA ILUSTRADO: Conheça mais sobre a Covid-19
COVID-19 NO MA: Veja o número de casos da doença na capital e em todas as cidades do estado
Recuperados e testes
Até o momento, 412.476 pacientes já se recuperaram da Covid-19 (Confira algumas histórias de recuperados pela doença no estado no fim desta reportagem).
Ao todo, a Secretaria de Saúde diz que já foram realizados 1.046.865 testes (rede privada + pública) para a Covid-19, sendo que 692.994 casos foram descartados. O número de casos suspeitos atuais é de 568.
Veja os dados da Covid-19 no Maranhão neste domingo (3)
Faixa etária dos pacientes
0 a 9 anos – 14.573
10 a 19 anos – 32.567
20 a 29 anos – 69.803
30 a 39 anos – 91.345
40 a 49 anos – 75.509
50 a 59 anos – 55.169
60 a 70 anos – 38.456
Mais de 70 anos – 34.566
Não informado – 14.304
Percentual de casos por sexo
Masculino – 43%
Feminino – 57%
Taxa de ocupação de leitos de UTI nesta segunda-feira (28)
Leitos de UTI para a Covid-19 na Grande São Luís
Total de leitos de UTI – 30
Leitos ocupados de UTI – 2
% de ocupação das UTIs – 6,67%
Leitos clínicos para a Covid-19 na Grande São Luís
Total de leitos – 50
Leitos ocupados – 2
Porcentagem de ocupação – 4%
Leitos de UTI para a Covid-19 em Imperatriz
Total de leitos – 20
Leitos ocupados – 2
Porcentagem de ocupação – 10%
Leitos clínicos para a Covid-19 em Imperatriz
Total de leitos – 20
Leitos ocupados – 1
Porcentagem de ocupação – 5%
Leitos de UTI para a Covid-19 nas demais regiões
Total de leitos – 50
Leitos ocupados – 8
Total de leitos – 16%
Leitos clínicos para a Covid-19 nas demais regiões
Total de leitos – 50
Leitos ocupados – 5
Porcentagem de ocupação – 10%
Novas cepas no Maranhão
O Maranhão confirmou, no dia 26 de fevereiro, o primeiro caso da variante brasileira P.1 (Gama) da Covid-19, originalmente identificada no Amazonas. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).
Já em maio, o Maranhão registrou os primeiros casos da variante indiana (Delta) do coronavírus (chamada de B.1.617) no Brasil. Foram seis pessoas que chegaram ao estado a bordo do navio MV Shandong da Zhi, atracado no litoral do estado.
Dos seis infectados, um precisou ser levado de helicóptero para um hospital da rede privada no dia 13 de maio. Trata-se de um tripulante indiano de 54 anos, que acabou morrendo no dia 28 de junho.
Em dezembro, o governo do Maranhão confirmou que, além da variante P.1 (Gama), a variante (Delta) também estava entre os registros de variantes de circulação local no estado.
No dia 3 de fevereiro de 2022, o Maranhão confirmou o primeiro caso da variante Ômicron. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), já havia mais de 50 casos da variante no Estado, distribuídos em 14 municípios. Nas amostras sequenciadas positivas para ômicron, 57% eram do sexo feminino e 43% do sexo masculino.
Curados da Covid-19
Graciliano tem 68 anos passou dois meses internado, mas teve alta da Covid-19
Divulgação/SES
Após passar dois meses internado com a Covid-19, o idoso Graciliano Pereira dos Santos recebeu uma grande festa por se recuperar da doença e receber alta no Hospital Dr. Genésio Rêgo, em São Luís.
A comemoração contou com a participação de familiares e da equipe médica do hospital. Aos 68 anos, Graciliano é aposentado e ficou conhecido pelo seu carisma com todos os profissionais de saúde.
Aos 101 anos, Regina Coelho Guiné venceu a Covid-19 no Maranhão.
Julyane Galvão/Secretaria de Saúde do Maranhão (SES)
Aos 101 anos, a idosa Regina Coelho Guiné foi mais uma maranhense que venceu a Covid-19 em São Luís. Os sinais iniciais de infecção pela doença como febre e indisposição, foram percebidos por um dos filhos da idosa.
Dona Regina passou por um exame de testagem onde foi comprovado o diagnóstico. Após o tratamento, a resposta imunológica foi surpreendente e chamou a atenção dos médicos e familiares da idosa, já que ela estava em recuperação de uma cirurgia no fêmur.
Luzia Angelita tem 73 anos e agradeceu os profissionais de saúde após receber alta da Covid-19
Divulgação/HUUFMA
Luzia Angelita Costa Almeida, de 73 anos, recebeu alta da Covid-19 e reencontrou a família após 90 dias internada no Hospital Universitário da UFMA, em São Luís.
A paciente foi a segunda pessoa com Covid-19 a dar entrada no hospital e também era a que estava a mais tempo internada. Segundo o HUUFMA, o tratamento da idosa exigiu diversos esforços da equipe de saúde, além da força e superação da paciente para vencer as dificuldades.
Flávia recebe abraço após receber alta da Covid-19 no Hospital Universitário, em São Luís
Divulgação/HUUFMA
Flávia Cristina Abreu de Almeida, de 49 anos, recebeu alta com grande festa no Hospital Universitário, em São Luís. Ela ficou 34 dias internada com a Covid-19 e saiu chorando e agradecendo os profissionais de saúde.
A maranhense foi a última pessoa internada em uma das duas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) que o HUUFMA mantinha apenas para pacientes com Covid-19, e que foi desativada.
Após quase dois meses internada, paciente de 61 anos vence o coronavírus no Maranhão
Divulgação
Após ficar internada durante um mês e 22 dias, a paciente Celma Rodrigues, de 61 anos, ganhou uma nova vida depois de receber alta do Hospital Dr. Genésio Rêgo.
Quando ela deu entrada no hospital, seus pulmões estavam com 92% de comprometimento. Ao todo, foram 31 dias internada em um leito de UTI e outros 21 dias na enfermaria até vencer a Covid-19.
Cuidados
Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.
N