Primeira etapa de vacinação contra febre aftosa começa dia 1º de maio no Maranhão


Segundo a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA), o objetivo este ano é de imunizar mais de 9 milhões de bovinos e bubalinos de todas as idades. Começa dia 1º de maio a campanha de vacinação contra a febre aftosa no MA
Começa, neste domingo (1º), a primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa, no Maranhão. Segundo a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA), o objetivo este ano é de imunizar mais de 9 milhões de bovinos e bubalinos de todas as idades.
“Nesta etapa too o rebanho de bovinos e bubalinos devem ser vacinados com dois mls da vacina. E como a gente costuma dizer, de mamando a caducando, ou seja, todos os animais, todos os bovídeos. A primeira etapa é agora em maio e a segunda etapa é em novembro. E na segunda etapa é que se vacina de 2 anos pra baixo”, explica a gestora da Aged em Imperatriz, Fernanda Rolim.
Campanha de vacinação contra Febre Aftosa é prorrogada até o dia 15 dezembro no Maranhão.
Divulgação/Aged
A Aged destaca que é importante os produtores seguirem todos os procedimentos sanitários na hora de imunizar os animais e que se dirijam às casas de revendas de vacina para aquisição do imunizante, nos primeiros dias da etapa da campanha, para evitar contratempo da oferta do produto.
Outra recomendação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária é que, após a imunização dos animais, o produtor se dirija até o escritório da Aged, onde sua propriedade rural está cadastrada, para fazer a comprovação, levando seus documentos pessoais, nota fiscal da compra e total de animais vacinados, divididos por faixa etária.
O Estado do Maranhão tem conseguido atingir a meta de vacinação recomendada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e continua sendo zona livre da febre aftosa, como explica a gestora da Aged em Imperatriz.
“Nós sempre conseguimos atingir metas muito boas. Atingimos acima de 98%. O Ministério da Agricultura coloca que nós temos que alcançar, todos os municípios do Estado, acima de 90% para que nós consigamos manter essa condição de livre com vacinação. Porém a nossa perspectiva agora é ser livre sem vacinação. Pra isso nós vamos passar por auditoria do Ministério da Agricultura e são eles que vão avaliar os Estados, sendo que nós fazemos parte do bloco 3, e vai verificar essa possibilidade. Pra que nós não tenhamos nenhum risco de um possível foco. Mas lembrando que, em todas as sorologias que são feitas dentro do Estado, nós não temos vírus circulante de febre aftosa”, destacou Fernanda Rolim.