Procuradora dá ‘facada’ em boneco de Bolsonaro durante malhação do Judas no Maranhão; VIDEO


Procuradoria do Estado diz que vídeo de Renata Bessa reflete uma 'expressão do pensamento político' e não é incitação à violência. Filhos do presidente falam que ação não é liberdade de expressão. Procuradora dá 'facada' em boneco de Bolsonaro durante malhação do Judas no Maranhão
Repercute nas redes sociais um vídeo (veja acima) em que a procuradora do Estado do Maranhão, Renata Bessa, aparece dando uma 'facada' contra um boneco que teria alusão ao presidente Jair Bolsonaro (PL), durante a cerimônia de malhação do Judas ocorrida durante o período de Páscoa, na semana passada.
As imagens são um compilado de dois vídeos. No primeiro, a procuradora aparece simulando uma facada contra o boneco e uma voz ao fundo diz 'mais embaixo', em alusão a facada que Bolsonaro levou durante um ato de campanha em Juiz de Fora, nas eleições de 2018. No segundo vídeo, Renata faz um discurso relacionando Bolsonaro com Judas, e diz que iria 'malhar' ele.
Procuradora do Estado do Maranhão, Renata Bessa, aparece em um vídeo dando uma 'facada' em um boneco em alusão ao presidente Bolsonaro durante malhação do Judas
Reprodução/Redes sociais
O senador Flávio Bolsonaro (PL) afirmou que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL) entrará com uma ação no Ministério Público e no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra Renata Bessa, apesar dela ser procuradora do Estado, não do Ministério Público.
"Isso não é liberdade de expressão e ela sabe disso! Isso é incitação ao ódio! O deputado federal @bolsonarosp fará denúncia no MP e CNMP contra a militante de esquerda, a qual custo acreditar que seja procuradora, que esfaqueou boneco do presidente. Atitude inadmissível", declarou.
Em resposta, a procuradora postou nas redes sociais uma mensagem em que chama o deputado de 'adorador de torturador'. Disse ainda que fará, no ano que vem, um novo boneco de Bolsonaro que será 'devidamente malhado'. No entanto, dias depois, ela apagou a postagem.
"Como falei, o voto em Bolsonaro não é um simples voto, é uma demonstração de caráter! Tinha deixado alguns bolsominions como contatos, mas, infelizmente, não dá para conviver. Em relação ao Judas, ano que vem farei o Bolsonaro 2, que será devidamente malhado. No Judas que malhar, coloco o nome e faço como quiser: ainda vivo num estado democrático de direito, apesar de alguns eleitores, infelizmente, a maioria. É por isso que querem tirar a estabilidade dos servidores públicos: para ficarmos reféns e covardes! Comigo nunca vai colar porque nunca precisei de favores, apesar de muitos amigos que angariei ao longo da vida! Deixo esse legado aos meus filhos: estudem para não terem o rabo preso. Ao meu querido professor de Direito Constitucional, Flávio Dino, presto minhas homenagens. A esse adorador de torturador e seus seguidores, deixo meu repúdio! Nunca me calarei e tomarei as providências cabíveis. Defendo o direito de todos, inclusive os meus", dizia a postagem da procuradora.
Após a repercussão do caso, a Procuradoria Geral do Estado do Maranhão defendeu Renata Bessa e disse que o vídeo não aponta incitação à violência, sendo apenas a opinião da procuradora, que deve ser 'protegido e respeitado'.
"A Procuradoria Geral do Estado vem a público, diante dos recentes fatos envolvendo um dos membros da carreira, prestar esclarecimentos à sociedade sobre vídeo que circula na internet no qual a Procuradora do Estado, Renata Bessa, em reunião particular realizada em sua residência e na companhia de familiares, promove a tradicional malhação de Judas. É comum na tradição que o boneco represente não apenas a figura de Judas, mas de outra personalidade atual, principalmente atores políticos de expressão nacional. O conteúdo do vídeo não revela qualquer ameaça ou incitação à violência, mas a legítima expressão do pensamento político da autora, que deve ser não apenas respeitado, mas protegido. A Procuradoria Geral do Estado do Maranhão é representada por homens e mulheres públicos que lutaram e lutam diariamente, de forma bastante comprometida e responsável, na defesa do interesse público e na edificação de um Estado verdadeiramente Democrático de Direito", diz a nota.