Travesti é assassinada dentro de casa em Raposa


De acordo com a polícia, a vítima teve a residência invadida por criminosos e foi morta a golpes de faca. Outras três travestis morreram no Maranhão nos últimos quatro meses.

Uma travesti, de 59 anos, foi morta na noite de terça-feira (15), no bairro Vila Maresia, localizado em Raposa, cidade localizada na Região Metropolitana de São Luís. Esta é a quarta travesti assassinada em um intervalo de quatro meses no Maranhão.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima foi identificada como Soraia e trabalhava como cabeleireira. Ela teve a residência invadida por criminosos e foi morta a golpes de faca. Os suspeitos fugiram do local levando objetos pessoais da vítima.

O corpo da travesti foi encontrado por vizinhos que acionaram à Polícia Militar. Até esta quinta-feira (17), ninguém havia sido preso.

O corpo dela foi removido e levado para o Instituto Médico Legal (IML) na área Itaqui-Bacanga, em São Luís. O caso será investigado pela Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) como latrocínio (roubo seguido de morte).

Outros casos

Casos de homicídio envolvendo travestis ganharam mais destaque no Maranhão nos últimos meses.

O corpo dela foi removido e levado para o Instituto Médico Legal (IML) na área Itaqui-Bacanga, em São Luís. O caso será investigado pela Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) como latrocínio (roubo seguido de morte).

Outros casos

Casos de homicídio envolvendo travestis ganharam mais destaque no Maranhão nos últimos meses.

O último caso aconteceu em fevereiro e envolveu a morte da travesti Gabrielly Monteiro, encontrada morta dentro de uma kitnet no bairro Jardim das Margaridas, em São Luís.

O suspeito de ter matado a travesti foi identificado como Edmundo Silva Pereira que, até o momento, não foi preso. A Polícia Civil continua fazendo buscas para tentar localizar o suspeito.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Feminicídio, da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP).

Caso Paulinha

Em janeiro, a travesti conhecida como 'Paulinha' foi morta a pauladas, pedradas e a golpes de faca na praça Higino Cunha, no bairro Formosa, em Timon, a 430 km de São Luís.

A vítima foi encontrada despida, com um pedaço de madeira na boca e com marcas de violência na cabeça. O principal suspeito do crime foi preso e o caso segue sendo investigado.

Caso Lara Viny

A travesti Lara Viny também foi encontrada morta, em dezembro de 2021, nas proximidades da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), na área Itaqui-Bacanga, em São Luís.

Segundo a polícia, ela foi encontrada despida e com um corte profundo no pescoço. As investigações apontam que ela teria discutido com homem minutos antes do crime. Ele fugiu do local em uma motocicleta e ainda não foi localizado. A Polícia Civil investiga o crime. Fonte: Blog do Gilberto Lima