Tribunal de Justiça do Maranhão entrega medalha Cândido Mendes a José Sarney


Comenda é a mais alta do judiciário entregue a figuras importantes que contribuíram com a história da Justiça do Maranhão. José Sarney recebe medalha Cândido Mendes das mãos do presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, Lourival Serejo
Matheus Soares
O ex-presidente da República, José Sarney, recebeu nesta sexta-feira (22) a principal comenda da Justiça do Maranhão: A medalha Cândido Mendes, que é entregue a figuras importantes que contribuíram com a história do judiciário maranhense.
Com base em formato de resplendor, acabamento dourado, e em formato de estrela de oito pontas, a medalha traz uma cruz dourada contendo a efígie do jurista Cândido Mendes e foi concedida com diploma e roseta pelo Tribunal de Justiça.
Desembargador Jamil Gedeon fala durante entrega da medalha Cândido Mendes a José Sarney
Matheus Soares
A entrega aconteceu na residência de José Sarney, em São Luís, e contou com a presença do presidente do Tribunal de Justiça no Maranhão, Lourivel Serejo; e também dos desembargadores Jorge Rachid e Jamil Gedeon, que indicaram a medalha ao ex-presidente.
Também estiveram presentes a ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney; e a esposa de José Sarney, Marly Sarney, que está prestes a completar 92 anos de idade.
Esposa de José Sarney, Marly Sarney também esteve presente na cerimônia
Matheus Soares
Ex-governadora Roseana Sarney prestigiou entrega da medalha Cândido Mendes ao pai, José Sarney
Matheus Soares
Idealizada pelo decano da corte, desembargador Antonio Fernando Bayma, a comenda é uma reverência ao jurista maranhense Cândido Mendes, que ganhou notoriedade pelos estudos jurídicos e pelas ações em defesa das fronteiras do país.
Nascido no Maranhão em 24 de abril de 1930, José Sarney se formou em Direito em 1953. Posteriormente, passou a se dedicar à política, se tornando presidente do Brasil de 1985 a 1990.
Medalha Cândido Mendes é a maior honraria dada pelo TJ-MA a figuras importantes que contribuíram com a história do judiciário maranhense.
Matheus Soares